Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Melhor Amiga Procura-se

Melhor Amiga Procura-se

Pelo blog da Inês

Recebi outro convite para participar noutro blog. O convite veio de uma menina muito simpática chamada Inês, que é autora do blog Mundo das Raparigas.

Quando recebi o convitepara fazer o post, ela disse-me que o tema era livre e após pensar um bocadinho sobre o que ia escrever, lembrei-me que a autora do blog tem 13 anos e como tal resolvi escrever sobre isso mesmo: “Ser rapariga aos 13 anos na minha altura e agora”, passem por lá para ver .

5 Dicas essenciais para uma boa mudança de casa

foto1 (1).jpg

 Foto unsplash de freddie marriage

 

Uma mudança de casa pode ser algo muito positivo ou uma verdadeira loucura! Sendo o motivo algo de bom – como um bom emprego, o começo de uma vida a dois ou a oportunidade de ter uma casa maior – uma mudança deveria ser até entusiasmante. Para além de que poderíamos aproveitar para por a casa e as ideias em ordem, com o reencontro de memórias que há muito tempo estavam escondidas no fundo da gaveta. No entanto, se não tivermos em atenção alguns procedimentos, a mudança de casa pode ser stressante, cansativa e uma experiência para esquecer! Por isso, decidi reunir aqui 5 dicas essenciais para uma boa mudança de casa. 

 

  1. Contratar profissionais

 Penso que para tudo correr bem e com mais tranquilidade não há nada como contratar profissionais. Pelo menos para a maior parte das mudanças ou para o transporte das coisas mais pesadas e volumosas. É que as mudanças dão trabalho, são difíceis e demoram tempo, por isso o melhor é contarmos com a maior ajuda possível. É certo que podemos alugar uma carrinha ou pedir emprestada ao vizinho, contando com uns braços extra de voluntários amigos que se disponibilizam sem pestanejar. Mas pensem bem: transportar móveis que não cabem nas portas, sofás, espelhos, camas, etc…levar tudo pelas escadas abaixo até à carrinha, encaixar tudo sem estragar, voltar a tirar, voltar a colocar em casa… Conselho de amiga: procurem empresas de mudanças e deixem o trabalho duro para quem sabe. Se quiserem, podem transportar algumas coisas mais fáceis e pessoais, como roupas, livros, pequenos eletrodoméstico, etc. 

 

  1. Encontrar os profissionais certos

 Claro que não podem escolher uma empresa qualquer. Procurem referências de trabalhos anteriores, procurando informações através de diversas fontes, sejam amigos, familiares, conhecidos, vizinhos e – claro – a Internet. Aqui irão encontrar sites de empresas, para além de que podem pesquisar em diretórios especializados onde inclusivamente podem ver comentários de pessoas que as contrataram anteriormente. Depois sigam determinados critérios de escolha, tais como relação preço-qualidade, verificando sempre se estão legais (com alvará), se têm seguro e se são mesmo especializadas em mudanças, pois há empresas que fazem biscates que são muito pouco profissionais.

foto2 (1).jpg

Foto unsplash de Matthew Landers

 

  1. E agora… mãos à obra!

 Lá por contratarem profissionais, não quer dizer que não tenham que ter algum trabalho. É verdade que muitas das empresas têm serviços de empacotamento, mas de qualquer forma há decisões que se têm de tomar, nomeadamente o que vão querer levar para a nova morada e o que deixam para trás. Aproveitem para deitar fora, vender ou doar coisas que já não usam há anos (e que certamente iriam continuar sem usar) e arrumar memórias e ideias. Levem convosco o que vão querer na vossa nova vida… e apenas isso!

 

  1. Empacotar

 Para além de terem de decidir o que levam convosco, vão ter também de definir o que vão empacotar e transportar primeiro e o que fica para último. Geralmente, primeiro arrumam-se os objetos que raramente se usam, como peças decorativas, livros, quadros, etc. Para último deixem bens necessários, como roupa e produtos de banho, utensílios de cozinha, etc. Depois, quando começarem a empacotar, comecem por uma divisão e depois sigam para a outra, para não revirarem a casa do avesso ao mesmo tempo. Não esqueçam de etiquetar as caixas, identificando o seu conteúdo e a divisão da casa a que se destinam. Vão ver que depois será tudo mais fácil quando chegar a hora de arrumar.

 

  1. Na nova casa

 Após já terem tudo na nova casa, estabeleçam uma data para desempacotar tudo. Uma semana, 1 mês ou 2, o que acharem que faz sentido. Mas é importante estabelecer uma meta, para não terem ainda caixotes a um canto um ano após a mudança! Ah, e há ainda outra coisa muito importante a considerar: as burocracias. Se querem ver televisão e tomar um banho quentinho assim que entrarem pela porta do vosso novo lar, não esqueçam de fazer as transferências de serviços como a água, luz, gás, telefone, televisão, Internet, etc.

 

"Alguém tem que martelar", já dizia o carpinteiro da Rua Sésamo

Hoje em dia estamos formatados para que toda a gente tenha formação superior e quem não tem é como se fosse menos que outros.

Não concordo, assim como não podemos todos gostar do amarelo, não podemos todos ter formação superior, se não depois quem vai executar as funções mais simples, com tanta ou mais importância que as outras?! Pois não sei…

Essa formatação começa logo desde pequeninos, onde os pais idealizam/sonham com um futuro brilhante para os filhos, quem os pode condenar por isso?! Ninguém.

Depois vem a pressão da sociedade, com perguntas como o que nadas a estudar?! Qual é o curso que queres tirar?! Queres ir estudar para onde?!

Juntamos a isto, os nossos sonhos e ambições, que dão um tempero especial... Ou mesmo o facto de não querermos ficar atrás dos outros… E nunca pensamos bem no que queremos ser, apenas que queremos ter um curso superior.

Isto tudo é muito lindo mas acho que muita gente se esquece que não podemos ser todos doutores e engenheiros, pois nem todos temos as mesmas capacidades e não é por não sermos que somos mais ou menos dignos. Também há pessoas que simplesmente não tem essa ambição e qual é o mal disso?!

(Claro que este post não é generalizado para todas as pessoas)

Pág. 2/2

Mais sobre mim

foto do autor

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D